Sunday, April 04, 2010
.;

podiam ser poemas
mas são beijos
que não tenho

Posted at Sunday, April 04, 2010 by susana
Comment (1)  

Sunday, March 21, 2010
<

tenho
metade de mim
metade de silêncio
meio corpo
meio espaço
pouco intenso
pouco quente
muito medo
muito vago
preciso de rasgos de tempo
de cheio
de colcheias
de buracos sem fundo

Posted at Sunday, March 21, 2010 by susana
Make a comment  

Saturday, March 20, 2010
k

não saber bem se é real a ferida aberta
não saber bem se dói
se aperta
estrebuchar
morrer um pouco cada dia
como se os dias tivessem facas que nos arrancam bocados
quero
outra vez e outra vez
meio lábio cortado
ou um verde que invada os meus pés

Posted at Saturday, March 20, 2010 by susana
Make a comment  

Tuesday, March 16, 2010
e

um aperto
cá dentro
foge a fome

inconcreto
não se explica
sente-se
sinto-o

querer agarrar
mas ir embora
querer continuar
mas fugir

fugir do tempo
fugir da história
fugir de fugir

podia agarrar-te?

podia entregar-te
as minhas palavras
o que farias com elas
isso é contigo

quero
quero sempre
sempre

sais de cá de dentro
mas não da pele
como se fosse um escudo
que me protege de te perder

Posted at Tuesday, March 16, 2010 by susana
Comment (1)  

Monday, March 01, 2010
'

há o frio do mundo lá fora

e o escuro que pesa

pesa nos olhos

e nos dedos

cá dentro também pesa

se o peso sumisse eu continuaria pesada

com a ausência das coisas que quero


Posted at Monday, March 01, 2010 by susana
Comment (1)  

Friday, February 26, 2010
º

tenho medo
dentro das minhas mãos fechadas tenho medo

Posted at Friday, February 26, 2010 by susana
Comment (1)  

Tuesday, February 23, 2010
xdh

faz frio

cantam-se os medos

e as histórias

são fantasias que se esborracham

que cheiram a medo

tenho fantasmas debaixo da cama

e os dedos gelados

e os lábios cansados

se tivesse melodias

ouvia-as

e sombras e pesadelos para calcar

tenho uma vida

cheia de terra

e frio

e saudade


Posted at Tuesday, February 23, 2010 by susana
Comment (1)  

Tuesday, February 02, 2010

a luz espalha-se
tem transparências que se confundem
a luz recorta-me numa noite de lua
eu escondo-me
o meu tamanho reduz-se
acalmo-me por entre os nós do pensamento
talvez as verdades repousem entre as palavras
e a perfeição entre a imperfeição
a noite tem unhas
arranha
arranca
magoa
não tenho mãos que possa agarrar
sangro
à luz da lua uma poça de sangue
de sangue fresco
sangue com lágrimas secas
sangue comigo

Posted at Tuesday, February 02, 2010 by susana
Comment (1)  

Monday, February 01, 2010
humpf

humpf

Posted at Monday, February 01, 2010 by susana
Comment (1)  

Tuesday, December 15, 2009
(),

o frio são lâminas que cortam a pele
e o amor são facas que trincham o coração
a pele e o coração são meus
o frio e o amor não se controlam
quem corta e quem trincha és tu

Posted at Tuesday, December 15, 2009 by susana
Comment (1)  


Previous Page Next Page




<< May 2017 >>
Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat
 01 02 03 04 05 06
07 08 09 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31



If you want to be updated on this weblog Enter your email here:



rss feed